Pesquisar este blog

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Turma boa

Está um fervo a nova redação da “Vogue” britânica. Desde o anúncio de Edward Enninful na direção da revista, após a saida de Alexandra Shulman, um elenco de celebridades da indústria passou a ser anunciado como colaboradores da publicação. Já sabíamos, por exemplo, que as modelos Naomi Campbell e Kate Moss, o cineasta Steve McQueen seriam editores-contribuintes de moda e cultura.
Agora quem entra no time é a maquiadora Pat McGrath, como editora de beleza. Ela terá como colaboradores outros nomes do mercado, como as maquiadoras Charlotte Tilbury e Val Garland e os cabeleireiros Sam McKnight e Guido Palau. Outra modelo que vai participar da mesma forma que Naomi e Kate é Adwoa Aboah, fundadora do site Gurls Talk. Enninful e a nova equipe começam só a partir de agosto.
Mas não são apenas com os nomes estrelados: há também profissionais do mercado editorial, como o diretor de arte Johan Svensson, da revista W, e os stylists Joe McKenna e Marie-Amélie Sauvé como alguns de seus muitos colaboradores de moda. Não é por falta de braço que essa revista não vai ser boa, hein?!
Que todos eles aproveitem a onda de popularidade, porém fiquem cientes das reclamações de Lucinda Chambers, que foi diretora de moda lá por mais de 30 anos e demitida na saida de Alexandra Shulman. “Hoje não há permissão para falhas na moda, especialmente nessa era das redes sociais, quando tudo gira em torno de uma vida incrível e bem-sucedida“, disse em entrevista polêmica ao site Vestoj, que causou uma reação imediata na direção da Condé Nast.
 - 
Foto: Getty Images.
https://petiscos.jp/beleza/maquiadora-pat-mcgrath-como-editora-de-beleza-da-vogue-uk

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Como acompanhar tendências de moda e gerar mais valor para sua confecção

No livro “Anatomia de uma tendência”, Henrik Vejlgaard afirma que as tendências de moda não duram mais do que cinco anos. Na verdade, ele pondera que a diferença entre uma tendência e um modismo é justamente que o último não se sustenta por mais de seis meses. Por exemplo: a tendência das calças de cintura alta já perdura há alguns anos, enquanto as meias calças extravagantes e ultracoloridas não passaram de uma ou duas temporadas.
Qualquer pessoa que trabalhe nesta indústria bilionária sabe que ela é extremamente mutável e que é necessário pesquisa diária para se manter atualizado sobre as novas tendências de moda. Hoje, a situação se torna ainda mais complexa com dezenas de digital ou fashion influencers que podem ditar o que estará cruzando a passarela na próxima estação.
Neste cenário, ganham espaços cada vez maiores as pesquisas de tendências feitas por empresas especializadas na área. Mas existem milhares de outros caminhos para se buscar referências e tentar caminhar com um pouco mais de precisão em meio à criação de uma nova coleção.

Onde acompanhar as tendências de moda

Existem diversos locais para buscar tendências de moda e trazer um pouco mais de segurança nas escolhas que a sua confecção irá tomar antes de começar a produção das peças da coleção. As principais são:

• Pesquisas externas de tendências

Existem empresas especializadas na pesquisa e levantamento de indicadores de tendências de moda. A partir de análises de comportamento, moda e mercado e segmentação por região (nacional/regional/internacional) é possível desenhar algumas referências e pontos que estarão em alta nos próximos meses.
Essas pesquisas são, possivelmente, a fonte mais confiável de tendências nacionais e internacionais em escala macro. Muitas grifes utilizam esses levantamentos como forma de nortear as ideias para uma nova coleção.

• Portais de mídias referências no setor

O setor da confecção e da moda tem inúmeras publicações bastante conceituadas e que são boas fontes de pesquisa de referências e o que está acontecendo nos ateliês pelo mundo. Isso porque através de entrevistas e o acompanhamento frequente de desfiles e mostras particulares, os editores conseguem dar um olhar mais apurado de algumas tendências que estão se formando.
Alguns nomes importantes nesse nicho são as revistas Vogue (de diversos países, como a dos Estados Unidos e a do Reino Unido, referências na área), Harper’s Bazaar e a brasileira Scape Mag, que apresenta editoriais em movimento e que foi lançada em março de 2017 pelo diretor criativo Adriano Damas e pelo publisher Marcelo Nascimento.

• Redes sociais

As redes sociais foram responsáveis pelo nascimento de uma nova classe de influenciadores no mundo da moda: os digital influencers. O que antes era restrito a modelos e nomes proeminentes do mercado, hoje são pessoas “comuns” que acumulam milhões de seguidores e têm um poder de influenciar o consumo de forma estrondosa.
Seguir alguns desses influenciadores é interessante porque, além de eles terem acesso a grandes marcas e novidades fashion, eles também ditam o que pode ser tendência pelo simples uso constante e demonstração em sua rede social.
A curadoria de quais são os nomes mais importantes para o seu negócio varia de acordo com o público alvo da sua marca, se ela é mais voltada para fast fashion ou slow fashion, o gênero e idade de seus consumidores, a identidade visual da sua marca entre outros. Normalmente eles se concentram entre digital influencers, editores de moda, artistas pop e modelos.
As melhores redes sociais para seguir esses ditadores de tendência são Instagram e Pinterest.

• Viagens

Destinos muito falados, artistas que fazem um retorno triunfal à mídia e às rodas de conversa, culturas que têm sofrido ascensão de interesse e peças de outros setores como arquitetura e arte também são excelentes materiais para pesquisa de tendências e ideais para novas coleções.

• Feiras e eventos do setor

Semanas de moda, feiras da indústria de confecções e eventos de outras áreas mas com a presença massiva de influenciadores de moda também devem estar no radar de quem quer acompanhar as tendências fashion.
Nesses locais é possível, além de sentir a temperatura do que está acontecendo e nortear para onde os estilistas e marcas estão caminhando, fazer networking e entender melhor a concorrência e como ela está se movimentando.

Básica e atualizada

Camisa branca de corte clássico, todo mundo tem dentro do armário, não tem? E essa mesma camisa branca que você manteve guardada por anos, até décadas a fio, segue firme e forme nas tendências mais atuais. Significa que a camisa social branca voltou na moda? Não exatamente. A peça é atemporal e isso significa que ela nunca foi embora, mas não é exatamente a camisa em si considerada a grande atração da moda contemporânea, porém a forma como adotamos esse curinga no look.
. Estilizando a camisa de sempre
A primeira coisa que a gente pode ficar de olho é a forma como as pessoas estão estilizando a camisa em um look simples. Como por exemplo, a combinação de camisa e calça jeans – mais básico que isso, impossível. Algumas garotas mostram que basta acomodar a peça de uma maneira diferente da que sempre usamos, e enfiar apenas um lado da camisa pra dentro da calça já dá outra cara para o look. Pra isso precisamos de camisas mais grandonas e largas, que pode até ser emprestada do namorado.
. Soltinha por cima de tudo
Quem tem mania de look todo arrumadinho pode achar coisa de outro mundo usar a camisa assim soltinha por cima da parte de baixo, mas a ideia é essa mesmo. As proporções mudaram na moda contemporânea, e a camisa solta e larga por cima de outras peças igualmente largas ajuda a construir essa nova silhueta na moda.
Se quiser tentar, existem novos desenhos de camisas com linhas e recortes diferentes que ajudam a realçar esse visual.
. Largona com peças extra grandes
Nessa onda de novas proporções das roupas, a coordenação de peças também mudou. Agora adotamos peças mais largas e folgadas no corpo, investimos em tamanhos extra grandes de propósito, pra deixar esse visual exageradamente grande. A camisa também entra em ação de maneira simples, combinada com outras peças básicas e estilizadas – ou não – a gosto de cada um.
. Barrado à vista
Pode parecer um detalhe bobo, mas se tratando de moda, os mínimos detalhes contam. Portanto o barrado de uma camisa aparente, usada por baixo de um tricô por exemplo, faz toda a diferença. Antigamente era considerado um desleixo, em tempos atuais é sinal de que você presta atenção aos efeitos e acabamento do look.
Se você é mais ligado nesses looks superestilosos, com tantas camadas de roupas que a gente nem consegue identificar que peça é o que, dá uma olhada:
. Sobreposição de camisa com vestidos e/ou tops
Parece complicado, mas é simples: basta incluir uma camisa branca sob vestidos que geralmente usamos sem nada por baixo quando está muito calor. O mesmo para tops curtinhos e blusas de alcinha. A dificuldade, porém, será sobrepor esse monte de peças tecnicamente mais justinhas, portanto invista em um modelo de camisa mais justa – pode ser aquelas camisas com elastano que eram modinha anos atrás, lembra? Tinha até camisa body.
. Sobreposição de saias
Como podemos ver, é sem limites para a criatividade. Se quiser usar uma saia transparente por cima da camisa-vestido, misturar estampas e padronagens, vai fundo!
Já viu que as mãos desapareceram debaixo das mangas?
. Punhos desabotoados
Você não viu errado, não! As mangas estão mais compridas mesmo, e agora esse outro detalhe também virou moda, como já identificamos há mais de um ano.
Como tudo se adapta na moda, as camisas também entram com esse acabamento e não precisamos de muita coisa pra garantir o look: basta deixar o botão das mangas abertos e usar o punho soltinho. Mais uma dica de styling pra gente tentar.
. Camisa com saia
Prova de que a camisa branca combina com qualquer peça são as referências de garotas que adotaram a peça com estilos variados de saia. Do modelo camurça com franjas até o plissado com acabamento metalizado, vale tudo mais uma vez!
. Golinha fechada
Essa você já conheceu há anos, e desde 2011 que as golinhas abotoadas até o colarinho são um sucesso. Atualmente o look continua o mesmo, mas sem tantos penduricalhos acomodados por baixo da gola como fazíamos antes – lembra dos colares, broches lenços e afins?
A diferença é que agora adotamos esse visual mais limpo, e que encaixa perfeitamente com os conjuntos de ternos femininos. Isso não significa que o look é engomadinho e careta, e como você pode ver, a gola fechada pode surgir em propostas mais soltas no corpo e seguir as outras referências repassadas acima.
. Camisa jeans
Não é porque estamos dando atenção à camisa branca que todas as outras camisas devem ser ignoradas dentro do armário. As dicas servem para todos os modelos, tecidos e acabamentos, e com a camisa de denim ainda dá pra trabalhar o visual inteiro jeans.
 - 

Coordenação de cores

Quem nos acompanha já deve ter visto ter visto os elogios do estilo à Tracee Ellis Rossque nos mostrou como adotar o visual pantera cor-de-rosa de maneira tão despretenciosa e sem ostentação. Esse é o maior desafio nos tempos atuais. Portanto não é de estranhar que a filha de Diana Ross sirva de inspiração a cada look que ela posta em seu Instagram, sempre tão ricos de dicas e truques de styling que se materializam em tudo o que vislumbramos para a moda contemporânea.
Uma das postagens mais recentes da atriz foi uma produção super simples, formada por calça, blazer e botina. O diferencial esteve nas cores dessas peças, que se coordenaram entre os tons de branco e off-white, cores que dificilmente combinamos juntas e isoladas no mesmo look.
Uma lâmpada se acendeu depois de vermos a produção de Tracee, e a partir daí pesquisamos outros looks com essa mesma coordenação de cores.
. Branco com creme/ bege
Por serem cores tão próximas, é raro combinarmos branco com bege, apesar de ser extremamente elegante, mesmo em produções tão casuais. Como podemos ver, essa combinação pode partir de uma simples calça e tricô. Os acessórios vão se encarregar de dar o destaque para cores mais chamativas, como o caso do mocassim de oncinha da Gigi Hadid (acima, ao centro), e Rod Stewart (acima, à dir.) te mostra como a mesma técnica também se aplica no vestuário masculino.
Chrissy Teigen (acima) te mostra como a técnica de coordenação de cores suaves é aplicada com a mais básica de todas as peças: o jeans, em versão short e calça skinny. Pra isso ela só lançou mão de um blazer off-white bem grandão e uma camisetinha branca.
Preto e azul-marinho
Ao contrário dos tons suaves, a combinação dos dois tons mais escuros, o preto e azul-marinho, pode ser impensável para algumas pessoas. Alguns encaram como se fosse um erro de coordenação, como se a pessoa que se vestiu assim não tivesse visto que são cores diferentes, pois se trocou no escuro. Hoje em dia esse pensamento foi aniquilado por uma das produções mais estilosas da moda contemporânea. Essa coordenação de cores é planejada e também surge em peças de linhas arquitetônicas e muitas delas de alfaiataria.
. Vermelho e pink
Não é todo mundo que encara produções inteiras de cores vibrantes, mas o vermelho monocromático está na moda. Em acréscimo à tendências, algumas garotas ainda acham válido coordenar a cor com outro tom bastante próximo, o pink, em uma brincadeira de tom-sobre-tom – o que funciona exatamente da mesma forma como vestir um look inteiro vermelho. É um detalhe relativamente discreto, considerando toda a proporção da cor, que agrega um toque divertido e até charmoso. Significa que deu mais atenção e capricho à roupa.
. Azul e verde
Tão colorido quanto o vermelho e pink, porém o azul e verde pode ser mais discreto, dependendo das tonalidades. Pra isso os meus favoritos são os tons mais fechados, fugindo um pouco das combinações entre verde-bandeira e o azul-cobalto, que são mais vibrantes e datados.
. Amarelo e rosa claro
Se tem uma coordenação de cores atual na moda, é essa. Com a repercussão do “rosa millennial“, o tom que varia entre um nude rosado, rosa-bebê e pode chegar até um tom mais vívido de rosa médio, surge combinado a diferentes tons de amarelo, que chegam até um tom de bege quase caramelo. Ninguém melhor que Jenna Lyons (acima, ao centro e à dir.) para deixar o exemplo, mas eis que nossa musa Tracee Ellis (abaixo) arrasou essa semana com uma produção formada pelo vestido degradê amarelo e botas rosa claro. Páh!
Fotos: Instagram @TraceeEllisRoss, Collage Vintage, Style Du Monde, Who What Wear, DailyMail, Elle, Bazaar.
Parece simples, mas não é!
 - 
petiscos.jp/moda/coordenacao-de-cores-dos-looks-de-tracee-ellis-ross-nos-servem-de-inspiracao